segunda-feira, 28 de junho de 2010

terça-feira, 22 de junho de 2010

Estudo do Meio

O estudo do meio foi parte integrante do projeto "A Matemática do Lixo", desenvolvido com os 8º anos do Ensino Fundamental II da EMEF Dulce Bento Nascimento, cujo objetivo foi abordar a questão do lixo e suas consequências ao meio ambiente e a importância da reciclagem.
O que é lixo? Como são produzidos? Quais os tipos de lixo? Quais as conseqüências do lixo ao meio ambiente? O que podemos fazer para amenizar essas conseqüências? O que é reciclagem? Por que é necessário reciclar? Quem a pratica? Esses foram alguns questionamentos abordados durante a realização do projeto.
Após a abordagem inicial e sondagem do conhecimento prévio dos alunos sobre o tema, orientamos e direcionamos à pesquisa; fizemos o estudo do meio, com visitas ao Departamento de Limpeza Urbana de Campinas - DLU - onde tivemos palestras de orientação sobre o lixo, suas consequências e a necessidade de reciclagem do lixo; visitamos a Cooperativa de reciclagem do lixo; visitamos o Aterro Sanitário "Delta A", onde os alunos puderam vivenciar as consequências do lixo ao meio ambiente, além do gasto do dinheiro público para cuidar de todo o lixo que produzimos no nosso dia-a-dia.
O trabalho prático:
Através de pesquisas a jornais, revistas, sites relacionados ao tema, palestras e estudo do meio, foi feito um estudo sobre a composição do lixo, os números do lixo e da reciclagem,tempo de decomposição de cada insumo, conseqüências do lixo ao meio ambiente, lixo e saúde, e os números da reciclagem do lixo no Brasil e no municipio de Campinas.

Nesta fase, os alunos fizeram a interpretação dos dados pesquisados, aplicando conteúdos matemáticos para obter novos dados. Usando operações
básicas, conversões de medidas, média aritmética, porcentagem, regra de três, estimativas, tabelas e gráficos.

Na realização do projeto contamos também com a contribuição da professora Kazuko - geografia - de forma interdisciplinar.

Prof. Everaldo Rocha.


video

domingo, 20 de junho de 2010

DIA 23 DE JUNHO TEM CORAL AÇUCENA NA EJA

Nesta quarta teremos o prazer de ter conosco o coral feminino Açucena regido por Ana Salvagni. Quem já teve oportunidade de ouvir e se encantar sabe que não pode faltar. Além de um acalanto para a alma e o corpo, Açucena nos proporciona uma mágica viagem por tradições sonoras de diferentes lugares e tempos. Oportunidade da gente conhecer e se deixar tocar por criações humanas sensíveis, cria-ações que vem nos ajudando a ampliar os sentidos para a vida... Seguem algumas informações sobre a apresentação e as artistas.


Coral Açucena
O coral Açucena é um coral feminino que nasceu há dois anos em Barão Geraldo – Campinas-SP. Criado pela regente e cantora Ana Salvagni, o grupo tem hoje 25 vozes. Estreou em dezembro de 2008, apresentando-se na Cia. Sarau, em Barão Geraldo, e, desde então vem realizando apresentações principalmente em Campinas. A idéia inicial foi criar um espaço acolhedor com um trabalho vocal direcionado às mulheres, mesmo as que não tinham experiência em canto coral. Dentro desta proposta, o grupo vem recebendo muitas pessoas interessadas e vem experimentando diferentes formações e repertórios.

Repertório para a apresentação
1. Surrexit Christus -Adam Gumpelzhaimer (1559-1625)
2. Rama de uma Oliveira – tradicional portuguesa (canto de colheita)
3. Maçadeiras - tradicional portuguesa (canto de trabalho)
4. Benke – Milton Nascimento e Márcio Borges / arr. Samuel Kerr
5. Mekô Merewá – canto dos índios Suruí, de Rondônia
6. Siahamba – tradicional, da África do Sul
7. Cajuína – Caetano Veloso. Arranjo: José Eduardo Gramani
8. Tambores de Mina: Nkosi sikel’i Afrika (Enoch Santanga – 1897)/ Sansa Kroma – tradicional da África do Sul / Cangoma – canto de escravos afro-brasileiros)

Regente: Ana Salvagni – breve histórico
Graduada em Regência pela UNICAMP em1994, Ana Salvagni já trabalhou com grupos como o Coral Municipal de Taquaritinga, Madrigal Boca a Boca (Campinas), Madrigal Cantabilis (Jundiaí), Coral Da Boca Pra Fora e grupo Cantadeiras (Campinas). É regente do Coral Municipal “Em Canto” de Morungaba desde 1995, e também do Coral Açucena, em Campinas, desde 2008.Já participou de diversos cursos na área de técnica vocal e regência coral, mantendo seu estudo de canto com o professor Mauricio Martinazzo.Como cantora, desenvolve trabalho de pesquisa em música popular e de tradição oral, além de apresentações, desde 1994. Apresenta-se ao lado do violeiro Paulo Freire no show Viola e Voz, além de outros espetáculos junto aos músicos Edmilson Capelupi, Edson Alves e Daniel Allain. Tem três CDs gravados: “Ana Salvagni”, “Avarandado” e “Alma Cabocla”, este último, que recebeu patrocínio da Petrobras, é dedicado à obra de Hekel Tavares.

domingo, 13 de junho de 2010

NÃO TE RENDAS


Não te rendas, ainda estás a tempo

de alcançar e começar de novo,

aceitar as tuas sombras

enterrar os teus medos,

largar o lastro,

retomar o voo.


Não te rendas que a vida é isso,

continuar a viagem,

perseguir os teus sonhos,

destravar os tempos,

arrumar os escombros,

e destapar o céu.


Não te rendas, por favor, não cedas,

ainda que o frio queime,

ainda que o medo morda,

ainda que o sol se esconda,

e se cale o vento:

ainda há fogo na tua alma

ainda existe vida nos teus sonhos.


Porque a vida é tua, e teu é também o desejo,

porque o quiseste e eu te amo,

porque existe o vinho e o amor,

porque não existem feridas que o tempo não cure.


Abrir as portas,

tirar os ferrolhos,

abandonar as muralhas que te protegeram,

viver a vida e aceitar o desafio,

recuperar o riso,

ensaiar um canto,

baixar a guarda e estender as mãos,

abrir as asas

e tentar de novo

celebrar a vida e relançar-se no infinito.


Não te rendas, por favor, não cedas:

mesmo que o frio queime,

mesmo que o medo morda,

mesmo que o sol se ponha e se cale o vento,

ainda há fogo na tua alma,

ainda existe vida nos teus sonhos.

Porque cada dia é um novo início,

porque esta é a hora e o melhor momento.

Porque não estás só, por eu te amo.

(Mario Benedetti)