quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Consequências da ação do homem sobre o meio ambiente. Onde isso vai parar?

video

Consumo Consciente e Sustentabilidade

video

Consumo Consciente e Sustentabilidade

video

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Semelhança de Triângulos

Semelhanças

Dois polígonos são semelhantes quando:

  • Os ângulos correspondentes forem congruentes (mesma medida);
  • Os lados correspondentes possuírem medidas proporcionais.

Triângulos são polígonos. Dois triângulos serão semelhantes se satisfizerem simultaneamente as duas condições necessárias de semelhanças: se os lados correspondentes possuírem medidas proporcionais, ou seja, possuírem a mesma razão de proporcionalidade e se os ângulos correspondentes forem congruentes. 
Porém, nos triângulos é possível verificar a semelhança de forma mais simples.
Casos de semelhança de triângulos:
  • Caso Ângulo Ângulo (AA): Se dois triângulos possuírem dois ângulos correspondentes congruentes, então eles são semelhantes.
  • Caso Lado Lado Lado (LLL): Se dois triângulos possuírem três lados correspondentes proporcionais, então eles são semelhantes. 
  • Caso Lado Ângulo Lado (LAL): Se dois triângulos possuírem dois lados correspondentes proporcionais e os ângulos entre eles congruentes, então eles são semelhantes.
Propriedade fundamental da semelhança de triângulos

Se traçarmos um segmento de reta paralelo a qualquer um dos lados de um triângulo e ficar determinado outro triângulo, este será semelhante ao primeiro.

Proporcionalidade

Razão é o quociente entre dois números. Quando duas ou mais razões são iguais, dizemos que os números que foram divididos são proporcionais (razão de proporcionalidade).
A = B
C    D




terça-feira, 6 de setembro de 2016

Depoimentos

"Quis voltar para ter um futuro melhor, um emprego melhor. Vim de família humilde. E não havia muita oportunidade. Precisava trabalhar para ajudar meu pai, minha mãe. Aí foi passando o tempo. Mas hoje estou determinado a ir até o final." (Antônio de Melo, 35 anos - metalúrgico, que havia parado de estudar no 3º ano do ensino fundamental).

"Eu já posso ler qualquer placa. Já posso sair. Eu já me virava, mas com a leitura, eu me viro melhor. É outra vida.Sempre que eu queria alguma coisa, eu pedia para os meus filhos lerem. Mas muitas das vezes, eles ficavam com preguiça, e diziam 'depois, mãe. E aquilo me aborrecia. E aí eu pensei: quer saber? Eu vou fazer por mim. E tô aqui, aprendendo a ler, a escrever, e eu te digo, é muito bom." (Maria Helena, 51 anos - diarista).

" O negócio está apertando se você não tem estudo. Está ficando difícil até para conseguir um serviço para limpar chão. É muito duro você não saber ler. Eu ficava muito triste. E eu estou amando esta escola. É tudo de bom." ( Santa Antunes Soares, 54 anos - assistente de limpeza).

Fonte: Correio Popular - 04/09/2016

Educação de Jovens e Adultos

      A Educação de Jovens e Adultos (EJA) é uma modalidade de ensino que atende todos os níveis da Educação Básica do país. Modalidade essa, destinada a jovens e adultos que não deram continuidade em seus estudos e para aqueles que não tiveram o acesso ao Ensino Fundamental e Médio na idade apropriada.

    A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9.394, de 20/12/1996), Seção V trata da Educação de Jovens e Adultos.

Art. 37. A educação de jovens e adultos será destinada àqueles que não tiveram acesso ou continuidade de estudos no ensino fundamental e médio na idade própria.
          § 1º Os sistemas de ensino assegurarão gratuitamente aos jovens e aos adultos, que não puderam efetuar os estudos na idade regular, oportunidades educacionais apropriadas, consideradas as características do alunado, seus interesses, condições de vida e de trabalho, mediante cursos e exames.
           § 2º O Poder Público viabilizará e estimulará o acesso e a permanência do trabalhador na escola, mediante ações integradas e complementares entre si.
Art. 38. Os sistemas de ensino manterão cursos e exames supletivos, que compreenderão a base nacional comum do currículo, habilitando ao prosseguimento de estudos em caráter regular.
            § 1º Os exames a que se refere este artigo regular-se-ão:
        I - no nível de conclusão do ensino fundamental, para os maiores de quinze anos;
           II -   no nível de conclusão do ensino médio, para os maiores de dezoito anos;
        § 2º Os conhecimentos e habilidades adquiridos pelos educandos por meios informais serão aferidos e reconhecidos mediante exames.



quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Área de Um Triângulo

Calculando a área de um triângulo:

O triângulo possui diferentes fórmulas matemáticas para determinar sua área. 

* Produto da base pela altura 

A = {(B \cdot h)\over 2} onde b é a base e h é a altura do triângulo.

Exemplo 1
Determinar a área do triângulo a seguir considerando que a sua base mede 20 metros e a altura 12 metros.
 A = 12 * 20 / 2 
A = 240 / 2
A = 120 m2

* FORMA de HERON ( semiperímetro)
Outra forma de determinar a área do triângulo é através da expressão de Heron de Alexandria, que utiliza o semiperímetro do triângulo. 

A = {\sqrt{p \cdot (p - a) \cdot (p - b) \cdot (p - c)}} 
onde 
p = {(a + b + c) \over 2} semiperímetro.



* LADOS
Também calculamos a área de um triângulo a partir de dois lados quaisquer e o ângulo entre eles.

A = {a \cdot b \cdot sen(\alpha) \over 2}

* Triângulos equiláteros (lados iguais)
Se o triângulo for equilátero de lado L, sua área A pode ser obtida por:

A = {l^2 \sqrt{3}\over 4}
Ou então usando sua altura h e a fórmula da base vezes a altura. A altura h do triângulo equilátero é:
h = {l \sqrt{3}\over 2}



quinta-feira, 16 de junho de 2016

Link da página do Facebook para divulgação do ato realizado por pais e alunos em defesa da Educação e sobre a crise dos terceirizados

Ato dos pais em defesa da educação - crise dos terceirizados

terça-feira, 17 de novembro de 2015

CARTA DOS ALUNOS DO 1º. TERMO DO CURSO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DA EMEF PROFA. DULCE BENTO NASCIMENTO (CAMPINAS) EM APOIO AOS ESTUDANTES QUE OCUPAM ESCOLAS NO ESTADO DE SÃO PAULO



Através dessa carta queremos manifestar nossa crítica ao projeto de reorganização das escolas públicas estaduais que está sendo imposto pelo governador Alckmin. Essa mudança vai causar grandes transtornos à população. Várias escolas serão fechadas. Inúmeras outras se limitarão a oferecer apenas um ciclo do ensino, dificultando as rotinas das famílias e, até mesmo, desestimulando a ida à escola. É um absurdo o governo impor essa mudança sem antes consultar os professores, pais e alunos . Discordamos do projeto porque ele tem por objetivo economizar dinheiro na educação quando, na realidade, precisamos de mais investimentos para melhorar a qualidade do ensino. É uma vergonha usar a violência policial contra aqueles que lutam pelo direito à educação. Damos o total apoio aos alunos que, corajosamente, ocupam as escolas! Estamos na luta com vocês!

Campinas, 16 de novembro de 2015.


quarta-feira, 10 de junho de 2015

GREVE DOS EDUCADORES: UMA LUTA EM DEFESA DA ESCOLA PÚBLICA E PELA VALORIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO

Comunidade da Escola do Guará,

Desde a segunda passada vários professores da nossa escola entramos em greve. Depois de três mesas de negociação, sem resultados, foi o último recurso que nos restou. Na questão salarial o prefeito Jonas Donizete não concedeu nem o índice da inflação dos últimos doze meses e as condições de trabalho nos serviços públicos da cidade só pioram. Na educação os problemas são muitos e, por isso, é o setor que mais aderiu à greve: temos creches superlotadas, escolas de ensino fundamental funcionando sem professores e sem outros funcionários, a implantação da educação integral está ocorrendo de forma precária, sem os recursos materiais e humanos necessários para a ampliação do tempo das crianças e dos adolescentes na escola. 



O dia-a-dia da greve é de muita labuta! Fizemos várias atividades para sensibilizar a administração e a população sobre os problemas que temos vivido no serviço público municipal e sobre a importância do atendimento à nossas reivindicações para qualificarmos o atendimento: visitas aos locais de trabalho para conversar com os trabalhadores que ainda não aderiram à greve, passeatas, aulas públicas, elaboração e entrega de cartas de esclarecimento à população, abraço do Paço Municipal. A administração Jonas Donizete responde de forma intransigente, embora todos saibamos que houve aumento da arrecadação no município e há condições de avançar na negociação: na semana passada abriu mais uma rodada de negociação para aumentar 1%, na proposta já feita, mas somente para o mês de novembro. Um desrespeito! E nenhum retorno sobre nossas várias demandas relacionadas às condições de trabalho! Nessa semana estamos sofrendo ameaças de termos faltas injustificadas e cortes no pagamento. Uma intimidação sem cabimento, pois seguimos todos os passos legais para a realização do direito de greve e a discussão sobre os dias parados sempre ocorre ao término da paralisação. 



Mas a postura desrespeitosa e intransigente da prefeitura não intimidou os trabalhadores, muito pelo contrário. Fez crescer a indignação! A mobilização e adesão à greve aumentaram! Sabemos dos transtornos que uma greve traz, mas é importante que ninguém perca de vista que a responsável por essa situação é a administração municipal. Contamos com a compreensão e o apoio da comunidade escolar! O mesmo compromisso que nos faz dar o melhor de nós em nossas aulas, no dia-a- dia de trabalho na escola junto aos alunos, é aquele que nos move agora para, de forma coletiva, lutar por uma educação de qualidade, com condições dignas de salário e de condições de trabalho! Temos a certeza de que a capacidade de nos indignarmos, de nos mobilizarmos coletivamente para a luta é o melhor exemplo que podemos dar aos nossos alunos e para toda a comunidade escolar nesse momento!  Vamos nessa porque hoje é mais um dia de greve e, em dia de greve, ninguém fica parado! Abraços!

Educadores em greve da Escola do Guará